O começo do fim...




 A sombra tem o contorno feminino e em sua mão há um cordão cujo pingente não se identifica.
  O anjo após sacar sua lança sente alguém atrás de você e rapidamente vira, mas a sombra, por ser rápida demais, num piscar de olhos abre o armário e tira de lá os bebês que a poucos segundos estavam chorando.

  O anjo olha para a sombra, que agora não é mais uma sombra, é uma mulher. Seus cabelos são longos, lisos e negros. Sua pele branca e seus olhos quase cor de fogo. Ela tem as duas crianças nos braços. São um casal de gêmeos. Um menino e uma menina.

  A face do anjo é de ódio e desprezo, mas ele simplesmente não faz nada.

  Os bebês não parecem ser simples crianças, mas sim crianças com uma força extremamente grande. O menino tem em seus pescoço um cordão cujos pingentes são as letras J. J. A menina tem o mesmo cordão com as letras L. M.

  As pequenas crianças olham para a mulher e para o anjo e sorriem como se eles fossem seus pais.

  De repente o sorriso dessas crianças para o tempo e só eles se mechem nos braços da mulher. Algo começa a brilhar e se vê lá de cima que são os cordões dos bebês.

  Num piscar de olhos o tempo se volta como se um poder estivesse sobre aquela sala.

  A sombra vai embora, o anjo voa janela a fora, os bebês entram no armário num piscar de luz. E assim vai até que... Não se vê nada na sala por causa da escuridão e só se escuta um choro no canto perto do armário.

 A luz acende bruscamente e a sala está do jeito que sempre foi.
  O armário coberto, a mesa e a cadeira, o quadro, o espelho, uma janela tranca e do lado do armário uma poltrona desgastada com uma menina sentada nela com a cabeça encostada nos joelhos.

  A menina chora sem parar e ao levantar o rosto dá para ver que seus olhos estão vermelhos e inchados. Seus olhos são cor de mel e seu cabelo é enrolado e castanho. Sua pele é branca demais, e se vê que nunca pegou um pouco de sol.

  Em sua mão há um porta-retratos com uma foto velha e desgastada. Aquele mesmo porta-retratos que foi quebrado no chão. Ela tira a foto que nele estava e a aperta em seu peito. Depois ela vira a foto, olha-a e chora mais ainda e larga a foto no sofá e vai sentar-se na mesa e abraçar um urso de pelúcia rosa e branco de pelagem bege.

  Agora dá para ver o casal da foto.
  No fundo há um lugar tipo uma praça com um jardim e uma árvore. A menina veste uma blusa rosa e está sentada no banco enquanto o menino a abraça e lhe dá um beijo na bochecha. Ela possui um sorriso de felicidade por ele estar ali. Ela é branca e ele moreninho. Percebe-se que a menina da foto é a mesma menina que está ali naquela sala escura e sem ninguém mais.

  Por segundos que se passa a menina está com a cabeça entre os braços e em cima da mesa. De repente se escuta o barulho de uma porta se abrindo. A menina olha bruscamente para o seu lado esquerdo e um menino moreno do cabelo curto e enrolado abre a porta e com uma cara de desespero olha para a menina sentada na mesa.

Nenhum comentário

Postar um comentário