6°: O pedido



  O amor já tinha crescido demais desde aquele dia do primeiro beijo. Ele a amava. Ela o amava. Eles eram felizes. E essa felicidade já tinha cinco meses.

  Até que a dor aconteceu. Eles brigaram. Ela sofreu e ele não parecia ligar. Palavras nunca eram ditas por ele. Enquanto ela falava demais. Brigava. Tentava se entender. Mostrava para ele que o amava demais e que queria parar de sofrer.

  Então eles ficaram sem se ver por um longo tempo. Ele não entrava no MSN. Ela até entrava e não o via nunca. Ela já estava preocupada, mas seu orgulho não a deixava ligar para ele. O que deveria ter acontecido.

  Passou-se um mês. Ela chorava todas as noites, mas não vencia seu orgulho. Seu coração doía. Sua alma não estava mais ali. Seu amor estava longe então ela não conseguia amar.

  Então numa madrugada ás 4 horas da manhã ela recebe um telefonema. É ele. Ela desejou que fosse e realmente era. Ela já não estava dormindo porque não conseguia. Chorava demais ao atender o telefone.

- Alô? – diz ele

-Oi, meu amor. Aonde você esteve? – ela pergunta desesperadamente

-Calma, eu estou bem, mas preciso de uma coisa.

-O quê?

-Preciso que você me encontre agora.

-Impossível. Olha a hora que já é.

-Eu preciso disso, por favor, por mim.

  Ela para, pensa e repensa. Decide ir. Coloca uma roupa simples e se vai. Ele a espera na porta de sua casa.

  Os olhos dele estão cheios de lágrimas. Parece cansado, mas sorri rapidamente ao ver sua amada. Ela sorri e ao pé de sue ouvido diz: “Eu amo você, me desculpe.”

  Ele apenas sorri e diz: “Nós vamos para todos os lugares que você quiser ir. Comeremos tudo que pudermos. Cantaremos e correremos. Quero te dar toda a felicidade de uma vida inteira em apenas um dia.”

  Ela não entende o motivo disso tudo. Ela faz tudo por ele e resolve ir sem perguntar nada. A felicidade está no coração dos dois.

  Enquanto tudo começa a acontecer. Há um pássaro azul e um ser de luz ao lado dos dois. Eles não vêem, mas isso não tem importância.

  O ser de luz sorri com essa felicidade enquanto o passarinho cantarola. Mas mesmo assim a expressão do ser de luz é triste e preocupante. Ele sente que algo ruim vai acontecer.

  Bom, nada é reparado. Ele ela já estão na beira da praia vendo o sol nascer. Estão deitados na areia de mãos dadas. Enquanto o sol nasce ele olha para ela e diz: “Quero que você faça um sacrifício por nós dois. Preciso que agente fique sem se ver por uma semana inteira. Sem ligações nem mensagens. Sem se falar pela internet. Nada.”

  Ela se assusta e lágrimas correm de seus olhos. “Pra que isso?” Ela pergunta já soluçando.

  Ele a olha aflito e diz: “Não precisa de resposta. Só preciso que faça isso.”

  O desejo dela não era aquele, mas aceitou por ele. Então naquele nascer de sol ela fez seu pedido.

  “Quero viver ao seu lado para sempre.”

  Ela fez o pedido, sorriu e o abraçou. O ser de luz estava a sua frente. Ele tinha a expressão triste e mais uma vez fez o sinal de silêncio.

  “Perdoe-me por isso. Eu prometo cuidar de você quando ele for.”

O ser de luz fala isso e se vai. Some, feito poeira. A menina não entende mais fica calado. E ao quando o ser de luz disse isso o coração dela sentiu a pior dor de todas. A dor da perda. Ela não entendeu, mas continuou a abraçá-lo.

  E eles ficaram ali até não poderem mais. Se amaram e esqueceram dos problemas. Eles apenas queriam se amar como se fosse por uma vida inteira.

Nenhum comentário

Postar um comentário