Simples assim...




E nada foi tão forte quanto tudo de um dia atrás..
Nada foi tão mágico..
Nada chegou tão perto da perfeição.
Nada mudou tanto o meu olhar..
Como nada fez meu sorriso brilhar tanto..
E até hoje eu lembro do primeiro dia...

Das primeiras horas
Dos primeiros momentos
Do tocar que acalmava até o leão mais feroz que existir.
E nem me importo de lembrar da voz...
Aquele som grave e ao mesmo tempo agudo
Era admirável até para a pessoa mais rancorosa...
Nada tinha inundado tanto a alma e passado para o sangue e o coração.
Nada era tão repetitivo nem tão novo... Era fabuloso.
Arrepiou no primeiro momento, mas se eu me lembro até hoje, ainda arrepia.
E aquelas borboletas na barriga? Elas ainda fazem parte de mim.
A vontade incessante.
Os momentos de constrangimento.
O medo.
A vergonha enorme a cada passo dado.
Era diferente mas também era igual.
Era normal pra eles e exótico demais pra mim.
Era um pensamento para o futuro mas com um passo a trás.
Era uma decisão e uma indecisão.
Era um sim só que ao mesmo tempo um não.
Era um passo atrás e uns 5 à frente.
Era uma vida.
Uma morte.
Uma luz.
Uma treva.
Era um ódio.
Era, de verdade, um amor e nada mais.

Nenhum comentário

Postar um comentário