10° - Lembrança...


  
  E ela acorda com a sensação de feriado e lembra que nesses dias era dia de vê-lo e passar a tarde toda ao seu lado. Ela sorriu ao lembrar das cenas. Sorrisos no meio das implicâncias e das brincadeiras bobas que só eles entendiam. Sentiu saudade.

- Bom dia, bebê.
- Oi? Quem fala?
- Bom dia meu bebê.
- Oi?

  Ela desejou que fosse ele, mas a voz não parecia ser a mesma. Mas vai saber, ela não escutava a voz dele a muito tempo, então era irreconhecível. A fez bem? Digamos que a fez lacrimejar.

  Ela resolveu se levantar. Cansou de ficar na cama, deitada, olhando para o teto. Sorriu. Tinha mais um dia tedioso pela frente. Era véspera de feriado e mesmo assim não teria aula.

  Saiu do quarto e percebeu que estava frio demais para seu corpo tão frágil. Ela voltou para a cama com rapidez, se cobriu e abraçou seu ursinho. Ela o desejou mais uma vez após tanto tempo sem nem pensar nele. Sua expressão se tornou solitária. Ela quis dormir mais uma vez para acordar e começar seu dia bem.

  Ela conseguiu? Não se sabe. Ela só ficou deitada olhando para a direção da parede e lembrando de como ele era quente nessas manhãs frias demais para ela.

Nenhum comentário

Postar um comentário