16° - Menina mulher...


  
  E hoje, de acordo com todas as notícias mandadas, ela a menina com o seu jeito diferente não passou por bons momentos na sua tarde. Foram muitos pensamentos que fizeram-na refletir sobre tudo e querer mudar mais e mais.

  Ela já estava com dezessete anos e não parecia. Era uma menina linda e não parecia. Mal parecia uma menina. Era difícil para ela? Passou a se tornar. Pelo simples fato de estar crescendo e os pensamentos e jeitos de menina mulher deviam acontecer.

  Antes isso tudo era mais que normal. Todo esse jeito, sabem? Esse jeito de menina moleque. De menina que não liga para o que os outros vão dizer dela. Esse jeito diferente das meninas normais. Ela gostava, sempre gostou. Ela nunca gostou de chamar atenção.

  Nunca quis batons vermelhos nem roupa colada. Nunca quis usar salto nem quis seus cabelos soltos a todo o momento. O seu melhor era esse. Andar de chinelo e bermuda. Blusa solta e cabelos presos. Essa sim era ela. Nada de unha pintada pra cá, maquiagem pra lá e andar com outras menininhas ali.

  Mas tudo mudou. Ela tinha que crescer, não é? E cresceu. Mas pra que? Ela não poderia continuar sendo aquele moleque para sempre? Não podia. Já estava na hora de ela mostrar a grande menina mulher que existe dentro dela. Ela tinha que tentar pelo menos. Ela precisa largas suas sapatilhas e calçar o seu maior salto.

  Ela conseguiu? Está tentando. Mas essa mudança precisa ser devagar. Se for brusca do jeito que ela deseja, vai dar merda. Todos estão acostumados com a Lua que mal brilha a noite. Ela precisa querer mais também. Só que a sociedade é malvada e está complicado para essa menina moleque mostrar a sua grande menina mulher.

Nenhum comentário

Postar um comentário