1° - O começo de um futuro...


  


   Era uma vez, num futuro distante, uma casa extremamente enorme para o que os olhos de fora podem ver. Ela se destacava muito bem em uma rua aonde o silêncio tomava conta. Sua cor? Um branco mais brilhante que qualquer diamante do mundo e em todo o seu terreno, à sua volta, existia dois quintais enormes demais para apenas uma família.
  
   Mas todo o brilho e toda importância estavam dentro daquela casa enorme. Se fôssemos parar pra perceber o silêncio era o mais ouvido, mesmo que já fosse quase a hora do almoço, e mesmo assim ninguém havia acordado.
 
  Então vamos continuar a observar. Andar calmamente á cada canto da casa aonde tudo parecia magia. Tudo era branco e vermelho as cores do amor, por assim dizer a vida. Cada canto da casa, cada detalhe, tinha um toque especial e único. Tudo vibrava intensamente mas de um jeito leve e suave.

   O olhar que via tudo caminhou pela casa mais um pouco subindo até o segundo andar e foi diretamente até o último quarto, sem perceber que nesse corredor havia quatro quartos de casa lado, cada qual com um nome na porta que não se dava para identificar. Sentiu uma magia pulsar de leve ali tenso como força algo maior que não se dava para distinguir.

   Então chegamos até o ponto principal, a porta dos fundos pintada de vermelho, com uma maçaneta prateada e quase desenhada, única. Na porta havia um dito: “E aqui floresceu o amor...” A porta foi aberta lentamente e foi se vista a cena mais linda.

   Em um quarto extremamente grande, proporcional àquela casa enorme, aonde tudo em volta brilhava. O sol atravessava as janela de vidro gigantes junto com cortinas vermelhas como o sangue. Isso deixava o quarto totalmente vermelho e lindo.

  Quando se olhava para o meio, aonde a cama estava, via-se um casal acabando de acordar mas sem vontade de levantar da cama. Eles continuaram deitados olhando um para o outro, lendo os pensamentos um do outro, sorrindo um para o outro. Via-se amor nessas expressões. Via-se felicidade extrema. Estava no auge, no alto, e nada fazia cair. Deram-se bom dia e resolveram ficar ali planejando cada vez mais objetivos, vendo e admirando o que conseguiram concluir.

Nenhum comentário

Postar um comentário