Precipício...

E ele disse: Se joga, minha flor
Ela hesitou.
Sorriu.
Passou a mão no cabelo
E deu um passo para trás
Disse: Tenha calma, Mor
Havia uma distância enorme para se jogar
Ela tinha medo de se machucar.
Imagina se ela cai e escorrega
O que será dela?
O que serão dos dois?
Ela o olhou, estendeu a mão e sorriu...
Como ela amava aquele sorriso
Seus olhos
Seu jeito.
Como ela queria correr e pular
Abrir os braços e fazer parte dele
Mas ela pausou no tempo
E ficou.
“Te amo” – pensou
Mas só pensou
Ele sabia.
Só não sabia que ela estava na beirada
Pronta para ir.
 
(A Sonhadora)
 

Nenhum comentário

Postar um comentário