Restaurar...

Por favor
Se afaste
Não fale mais comigo
Não olhe para meu rosto
Nesse momento quero ser para você
O inalcançável
O inexistente
A única coisa nesse mundo que você não pode
Tocar, sentir, ver...
Nesse momento eu sou o luto
De algo que morreu
E preciso de calmaria
Silêncio
Não quero que nada mais doa
Mas você insiste em aparecer nos meus sonhos
E me fazer perder o sono
Desencadeando um dia de abatimento profundo
E olheiras óbvias...
Meu estômago não é mais o mesmo
Ele se tornou uma parede de feridas incuráveis como meu coração
Quando elas começam a se curar
Tudo explode de novo e se abre
Te peço, por favor, saia da minha vida
Não desacelere o processo
Eu não quero pressa
Mas também não quero retroceder.
 
(A Sonhadora)
 

Nenhum comentário

Postar um comentário