Sofrer constante...



Achei incrível a forma como foi o fim
Foi tão frio e úmido quanto o nosso começo
Fui tão feliz ao seu lado, mesmo longe
Mesmo triste, mesmo chorando...
Todas as noites eu colocava a cabeça no travesseiro
E me culpava pelas próprias lágrimas
Pela dor da imaturidade 
Pela forma como você me atacava por dentro
Mas eu sorria ao te ver todos os meses
Ansiava para te fazer sorrir
Sei do seu amor, mas sei também que ele não sustentaria.
Me lembro de todas as vezes que você me fez chorar
Me culpei por todas as vezes, todas elas.
E você não pediu desculpas por nenhuma.
Seu orgulho me machucou todos os dias e noites
Virei um oceano onde você nadou
Sem perceber o mal que fazia
Mas eu era a culpada
Do mar que me afogava
Dos seus surtos de raiva
Da minha infelicidade.
Para eles, eu sou culpada
E você o homem triste que foi deixado pelo amor.
Mas quero que se lembre, hoje
De todas as vezes que fiz chover
E todas as vezes que você virou furacão
Busque todos os momentos que você se desculpou por esses motivos
Eles não existem.
O agora é esse, porque todas essas desculpas nunca surgiram
Como não desculpo todas aquelas palavras que jogou no meu coração naquele sábado tardio
Onde não tive o direito de reclamar 
Abaixar a cabeça e concordar nunca fez parte de mim
Eu posso chorar e deixar para lá
Mas é o maior erro que alguém me deixa cometer
Porque está guardado na alma
Cada choro
Cada dor
Cada medo dos "erros" que cometia
Perto de você eu não relaxava mais
Não respirava aliviada
Sorria com medo de sorrir errado
Andava com medo de andar errado
Te abraçava com medo de abraçar errado
Isso tudo para não chorar acuada no canto,
Como uma criança ameaçada por alguém que deveria proteger.

(A Sonhadora)

2 comentários