Chove na noite de natal...


É cômico como as pessoas colocam sua felicidade em outras pessoas
Como se você só fosse feliz por ter aquele ser humano em sua vida
E pensando nisso
Me vi perdida em uma fábula criada pela minha maldosa mente
Que me prega peças e me faz chorar no meio de um filme de comédia
No final das contas
Eu me sinto só
Porque dependo de uma âncora
E nesse momento nada ao meu redor me serve
E mesmo que em minha cabeça eu saiba que eu só preciso de mim
Minha alma e meu coração apelam por uma outra metade
Que eu crio em todas as pessoas.
É bem difícil admitir isso para mim mesma
Mas afirmo que nunca admitirei isso para o mundo.
É a maior das fraquezas do ser humano...
Admitir algo que é uma verdade vergonhosa e dolorida.
Dói você olhar ao seu redor 
E enxergar que não possui ninguém pra ser sua base nas lutas da vida
Dói mais ainda saber que você já teve e perdeu
Pior ainda é saber que não tem de volta porque seu rancor cega.
Hoje é dia de natal, exatamente nessa data, final do ano
E eu me peguei pensando nessas palavras
Sem ao menos entender o porquê
Mas fazia muito tempo que eu não colocava pra fora
Todas as lágrimas guardadas no peito
Não está chovendo lá fora, meus amigos
Mas toda a chuva de dor escorre pelo meu rosto nesse momento.
Estar só é uma dádiva
Mas não para a eternidade.

(A Sonhadora)

Nenhum comentário

Postar um comentário