Dono do meu mundo...



Estou aqui mais uma vez, sozinha
Caminhando onde nós dois passeamos de mãos dadas naquela semana de carnaval
Eu estava com um conjuntinho que você me deu e você com a bermuda que te fiz comprar
Quem passeia de calça social pelo calor dessa cidade?
Você me olhava com ternura, amor e admiração.
Eu sorria.
Estava quente e meu cabelo azul brilhava com o toque dos raios do sol enquanto seus rosto era pura oleosidade e suor.
Cada caminhar divertido, era um sorriso.
Você era meu maior fã
E eu era sua estrela de cinema
Posta em um pedestal, pronta para ser mais que adorada.
Você me amava, eu sabia disso.
E caminhar por aqui agora, sozinha, sem ninguém para me segurar quando eu tropeçar em uma pedra, me faz perceber que realmente não há um amor igual ao nosso.
Estar aqui e enxergar nossas pegadas em cada canto, nossos beijos no mirante de pedra e nossos carinhos em cada pausa para descansar, me dói.
Mas estou aqui para sentir essa dor ao olhar para cada flor que olhamos juntos e vivenciar todos os aromas respirados por nós dois
Sentar naquele banco embaixo de uma árvore gigantesca e lembrar de cada gota de água que bebemos
Sorrir em meio as lágrimas...
Afinal, as lembranças são boas.
Boas o suficiente para apertar meu peito reafirmando que eu não devia estar aqui sozinha e nem lamentar todos esses pensamentos
Confesso que na noite daquele dia eu sabia que você iria me amar para sempre e eu prometi tentar corresponder a altura.
Seu amor era grande demais para competir.
É engraçado estar caminhando aqui e lembrar claramente de cada momento com você.
Seu aniversário.
As viagens.
Os jantares.
Cada lugar preferido que você me apresentou.
Eu sentia o quão era especial.
Mas estou aqui sem você pra rir dos meus rodopios
Para ficar feliz com a minha vontade de comer
Para reclamar da mania das pessoas de encostar em você nas filas.
Pra esbravejar sobre o meu choro ou rir com desdém da minha manha.
Eu era uma criança, meu amor
E você o dono do mundo.

(A Sonhadora)

Nenhum comentário

Postar um comentário